Clinica Doppler

Já pensou em ser um doador de medula?

Ser um doador de medula óssea é mais simples do que se imagina. O procedimento pode ser a única chance de vida de uma pessoa.

Quando o assunto é doação de medula óssea, é preciso compreender que ela é encontrada dentro dos ossos e contém células-tronco. Tem como responsabilidade a produção de células do sangue (glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e as plaquetas), indispensáveis para o bom funcionamento do organismo.

Se as células não são produzidas de forma adequada ou se sofrem algum tipo de mutação, tornam-se malignas, e o transplante de medula óssea passa a ser, muitas vezes, a única chance de vida de alguém.

Os principais beneficiados com o transplante são pacientes com leucemias originárias das células da medula óssea, linfomas, doenças originadas do sistema imune em geral, dos gânglios e do baço, e anemias graves (adquiridas ou congênitas). Outras doenças, não tão frequentes, também podem ser tratadas com transplante de medula, como as mielodisplasias, doenças do metabolismo, doenças autoimunes e vários tipos de tumores. Compreendendo a importância do assunto, você já pensou em ser doador de medula óssea?

Como se tornar um doador de medula óssea?

Para se tornar um doador, é preciso fazer o cadastro no REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea), administrado pelo INCA (Instituto Nacional do Câncer). A partir do cadastro, é coletada uma pequena quantidade de sangue para análise (10 ml) e a compatibilidade será verificada com os pacientes que estão aguardando a doação. Os dados do doador são inseridos no cadastro do REDOME e, sempre que surgir um novo paciente, a compatibilidade será analisada. Uma vez confirmada, o doador será consultado para decidir quanto à doação.

O que é necessário para ser doador?

É preciso ter entre 18 e 35 anos de idade e possuir boa saúde, não apresentar histórico de câncer, doença autoimune ou hematológica. Além disso, é importante não ter doença infecciosa transmissível pelo sangue (como hepatite e HIV).

Como é feita a doação?

A coleta das células-tronco é realizada em hemocentros públicos ou privados ou em centros de transplante. Existem duas maneiras para coleta e a decisão de qual será escolhida é exclusivamente do médico responsável pelo procedimento.

A primeira forma de coleta requer internação e é feita sob anestesia geral em centro cirúrgico. São feitas punções na região pélvica posterior (osso do quadril) e dura cerca de 90 minutos.

A segunda maneira, a doação por aférese, é feita em uma máquina que coleta as plaquetas e depois retorna para o corpo. É preciso fazer uso de uma medicação por 5 dias para estimular as células-tronco. O procedimento dura de 3 a 4 horas.

Importante: a medula óssea é absolutamente diferente da medula espinhal. A quantidade doada é mínima. As células se reproduzem naturalmente, por isso, em 15 dias, o organismo já estará recuperado.

Doe sangue e doe medula óssea: a gratidão por ter salvado uma vida aquecerá seu coração para sempre!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.